Idosos podem tomar vacinas? Quais são as mais indicadas?

24, abril 2017

Idosos podem tomar vacinas? Quais são as mais indicadas?

Idosos acabam ficando mais fragilizados e por isso, o cuidado constante com a saúde é fundamental. A boa notícia é que em todo país, já é possível encontrar a grande maioria das vacinas gratuitamente. Elas podem ajudar na prevenção de doenças e na imunização do corpo, garantindo mais qualidade de vida e tranquilidade.

Mas muitas dúvidas surgem a respeito delas, não é mesmo? Afinal, quais são as vacinas indicadas para idosos? Elas são obrigatórias? Em que período do ano são mais indicadas? Quais podem ser tomadas e quais são aquelas que devem ser evitadas a todo custo? Veja a seguir pequeno guia que preparamos para você.

Conheça quais são as vacinas indicadas para idosos

1. Marque no calendário

Idosos também possuem um calendário de vacinas. Isso mesmo, assim como as crianças, precisam manter em dia a proteção contra algumas doenças que podem prejudicar ou até causar a morte. As que não podem faltar, são as seguintes:

* Hepatite B – Muitas pessoas recebem a vacina de hepatite B durante a vida, portanto não precisam tomar novamente. Mas se tem dúvidas ou não se lembra, o ideal é tomar 3 doses mesmo na terceira idade. Não há uma data específica, basta procurar o posto de saúde.

* Difteria e Tétano – dT – Esta vacina protege contra duas doenças graves e para a imunização completa, indica-se 3 doses. Não há data específica no calendário.

* Tríplice Viral – SRC – Esta vacina é muito importante e é realizada em dose única. Confirme se o idoso já tomou em outros períodos da vida. Não há data específica agendada.

* Gripe – Os idosos devem tomar a vacina anti gripe todos os anos, no período de maios incidência da doença, como por exemplo no inverno. A vacinação anual é indicada porque os vírus sofrem mutações e podem causar doenças mesmo em pessoas já vacinadas.

* Antipneumocócica 23 valente polissacarídica: Esta vacina deve ser aplicada no idoso somente 2 vez na vida e não há datas preestabelecidas.

* Febre Amarela – Indicada somente para pessoas que vivem em regiões de alto risco, deve ser considerada com cuidado.

Como e onde conseguir as doses das vacinas?

No Brasil, qualquer posto de saúde está equipado a fornecer e aplicar as vacinas em idosos. O ideal é ter sempre em mãos a documentação e a carteirinha de vacinação. Além dos postos de saúde, clínicas particulares e alguns hospitais também estão aptos para fazer a vacinação.

Mas atenção! A vacinação de idosos é delicada e deve ser levada a sério. Nenhuma delas é obrigatória, mas oferecem mais segurança e tranquilidade.

Antes de ir diretamente à uma clínica ou posto de saúde, é preciso que o idoso consulte o seu médico de confiança para que seu estado de saúde seja avaliado. Todos os medicamentos e alergias deverão ser listados para o médico para que ele possa indicar a melhor opção.

Idosos que sofrem de doenças crônicas, passam por tratamentos de saúde específicos ou estão em situações de maior instabilidade devem ser avaliados previamente com ainda mais atenção, já que a maioria das vacinas contém os vírus enfraquecidos, que em algumas situações poderão trazer reações.

Relacionados

Entenda o custo x benefício de um residencial para idosos

Entenda o custo x benefício de um residencial para idosos

Quando somos crianças, necessitamos de cuidado, atenção e amor, mas chega um momento em que o cenário se modifica. Nós filhos, criados com desvelo e atenção, passamos a cuidar

Porquê confiar quem “Você” mais ama aos cuidados do Aconchego Residencial para Idosos

Porquê confiar quem “Você” mais ama aos cuidados do Aconchego Residencial para Idosos

    Sabemos que o envelhecimento populacional e a expectativa de vida vêm cada vez mais crescendo ao longo dos anos. Há estudos que mostram uma diminuição da taxa de mortalidade

Sons e sorrisos: a importância da musicoterapia para a saúde dos idosos

Sons e sorrisos: a importância da musicoterapia para a saúde dos idosos

Que o número de idosos não para de crescer no Brasil e no mundo, isso já não é novidade. Novas são as dúvidas que surgem, dia após dia, quanto