A importância do acompanhamento da família para os idosos nos asilos e casas de repouso.

15, março 2017

A importância do acompanhamento da família para os idosos nos asilos e casas de repouso.

Uma prova de gratidão: A importância do acompanhamento de idosos

Todos nós estamos propensos a encarar a velhice. Ela é uma dádiva que muitos conseguem usufruir com saúde. Porém, existem casos em que essa idade requer um pouco de atenção. Conforme os anos avançam, alguns sinais de debilitações começam a aparecer e muitos não conseguem mais fazer as mesmas coisas sozinhas, precisando assim de um acompanhamento.

A expectativa de vida da população brasileira tem aumentado cada dia mais. Segundo dados do IBGE, a população idosa mais do que dobrou nos últimos 50 anos. Isso significa que nós estamos vivendo mais e também temos uma grande probabilidade de chegar nessa fase da vida. E obviamente que ninguém gostaria de ser abandonado pelos seus familiares quando avançar a idade, não é mesmo?

Porém, esse não é o cenário atual. A cada dia são registrados dezenas de casos de abandono de idosos em todo o país. A negligência, abandono, violência psicológica e física são denunciadas com frequência, sendo que no período de um ano, o Disque 100 recebe cerca de 80 mil denúncias. Segundo o Estatuto do Idoso e dos Direitos Humanos o abandono a pessoas idosas é considerado um crime com pena de reclusão e detenção.

Você pode ajudar a combater essas estatísticas cuidando de quem te deu atenção a vida inteira. Nós como filhos, sobrinhos ou netos temos o dever de prestar a gratidão aos nossos idosos, demonstrando-lhes amor e afeto nessa fase da vida. Esse não é apenas um gesto para retribuir todas as coisas que eles nos fizeram a longo da vida, mas também trata-se de um gesto como humano.

É de suma importância que a família esteja ao lado dos idosos, dando-lhes amor e atenção. Quando estamos presentes, a qualidade de vida deles pode melhorar consideravelmente. Isso é comprovado psicologicamente. Quando se sentem amparados, eles percebem a gratidão nos cuidados dos familiares.

Mesmo que o idoso esteja em casa ou no asilo, é sempre importante fazer um acompanhamento e visita com frequência. Muitos são esquecidos nos asilos e acabam falecendo sem nenhuma atenção dos familiares. Por isso, sempre que puder faça uma visita e ofereça um pouco de carinho.

E demonstrar afeto aos idosos não é uma tarefa muito difícil. Eles precisam muito mais do que cama, comida e roupa lavada. Então, tente conversar com o idoso. Deixe que eles falem das suas experiências e histórias. É importante sempre deixá-los falar. Muitas vezes podem repetir as conversas, porém é preciso ter paciência.

Além disso, os idosos são propensos a reclamar, é preciso ter tolerância. Sempre que possível também, tente-os incluir em atividades familiares, como almoços e passeios. Inclusive, incentive-o a fazer alguns programas de lazer, isso pode ajudar no seu desenvolvimento.

E também diga pelo menos uma vez ao dia que você o ama. Isso pode ser fundamental para que o idoso sinta-se querido. Abrace-o e sorria, assim o idoso se sentirá protegido ao seu lado. Pequenos gestos podem fazer toda a diferença. Lembre-se sempre que o jovem de hoje será o idoso de amanhã.

Relacionados

Entenda o custo x benefício de um residencial para idosos

Entenda o custo x benefício de um residencial para idosos

Quando somos crianças, necessitamos de cuidado, atenção e amor, mas chega um momento em que o cenário se modifica. Nós filhos, criados com desvelo e atenção, passamos a cuidar

Porquê confiar quem “Você” mais ama aos cuidados do Aconchego Residencial para Idosos

Porquê confiar quem “Você” mais ama aos cuidados do Aconchego Residencial para Idosos

    Sabemos que o envelhecimento populacional e a expectativa de vida vêm cada vez mais crescendo ao longo dos anos. Há estudos que mostram uma diminuição da taxa de mortalidade

Sons e sorrisos: a importância da musicoterapia para a saúde dos idosos

Sons e sorrisos: a importância da musicoterapia para a saúde dos idosos

Que o número de idosos não para de crescer no Brasil e no mundo, isso já não é novidade. Novas são as dúvidas que surgem, dia após dia, quanto